Explorando as frutas secas

17/05/2010

clique para aumentar
ou diminuir o texto

A primeira referência é a noite de Natal. Pelo menos para os mais antigos, que pouco acesso tinham aos sabores tão específicos. Era quando as famílias recebiam as "cestas de Natal", encomendadas desde o início do ano e recheada de guloseimas que tanto mexiam com a tentação das crianças. Ou isso ou - nas cidades maiores - alguns mercados especializados em importar esses produtos. E era um tal de se deliciar com nozes, castanhas, amêndoas, avelãs e outras sementes que davam um certo trabalho para serem comidas, pois havia a necessidade de se quebrar a casca dura para chegar ao núcleo. Quando não isso, frutas secas, como uvas-passas (aquelas com sementes, irresistíveis), figos secos, bananas-passas e alguns outros sabores menos votados.

Hoje já não é bem assim, encontra-se de tudo em toda parte e - cá entre nós - já não há mais o mesmo encanto de antes. Mas nem por isso perde-se no sabor e os cozinheiros têm se esmerado em criar pratos que utilizam essa gama tão variada de ingredientes que deixaram as festas de fim de ano para poderem se integrar ao cotidiano de nossa cozinha.

Tanto assim que podem vir em formato de pão, como o que Karoline Martelotti, proprietária da Padaria, Confeitaria e Empório Joaquim José tem à disposição de seus clientes. Junto com a farinha e o fermento estão as ameixas pretas picadas, incorporadas à massa, resultando em sabor próprio e personalizado.

Utilizando tâmaras, a chef Manu Buffara, do Hotel Deville Rayon, fez uma releitura do Locro, prato típico do Mato Grosso e Argentina e que tem tudo a ver com a entrada do Outono. A criação de Manu tem a ver com uma pesquisa sobre os estados que ela realiza - já fez sobre Rio Grande e agora Mato Grosso. Poderia também ser definido como uma Canjiquinha com ossobuco e tâmaras, combinação fica muito boa, pois a gelatina fica quente e não derrete, levemente apimentado, doce e crocante.

Há outras duas opções para prato principal. Uma delas com sotaque árabe, da chef Vaneska Berçani, do restaurante Velho Oriente. O Kebab de frango com coalhada e mix de frutas secas tem o peito de frango desfiado, temperado com ervas e composto com nozes, damascos, uvas-passas para recheio de pães-folha, acompanhados de coalhada seca. Sabor bem especial, leve e suave. A outra sugestão é, digamos, um pouco mais ortodoxa, apesar da combinação entre o filé mignon e o adocicado do damasco. Na contribuição da Tirolez Queijos o Filé mignon com recheio de queijo e damasco compõe bem uma refeição como prato principal e agrada ao paladar.

Para sobremesa, a proposta de Carolina Fiorini Tedesco, proprietária da Mercearia Coralina é uma porção dos Pastéis gregos de frutas e nozes, pastéis em meia-lua, aromáticos e doces, conhecidos na Grécia por "Moshopoungia", recheados com cascas de citrinos cristalizados e nozes, embebidas numa calda de café. Pode também acompanhar o café da tarde ou escoltar uma xícara de chá. Outra ideia apetitosa é atraente é Torta basca com frutas secas, apresentada aqui por Giuliano Hahn, chef do restaurante Vindouro e professor do Espaço Gourmet Gastronomia. A receita permite variações entre as frutas secas, conforme a preferência de cada um. Hahn sugere combinar entre damasco, figo iraniano, tâmara sem caroço, pistache (sem sal e sem casca) e macadâmia.

Bom apetite!

Site Paraná OnLine

Cadastre seu email e receba nosso informativo

Voluntários da Pátria, 475 22ºandar | sala 2211 | 80020-926 | Fones: (41) 3232 4821 |  (41) 3521 5460