Rota de Viagem: Caminho de Santiago da Compostela

08/10/2012

clique para aumentar
ou diminuir o texto



por Jair Euclides Capristo, Apabeano

"Com 63 anos de idade, nascido em Parapuã (SP), residindo no Paraná desde os 5 anos, e em Curitiba desde os 18. Casei-me em 1972 com a Sulei Bonin Capristo, que também era funcionária do Bamerindus. Tivemos um casal de filhos - a Danielle e o Jiuliano. Ambos estão casados e nos deram quatro netos, um casal cada um.

Iniciei no Bamerindus aos 15 anos como contínuo na agência 097, de Alto Paraná, e entre os diversos cargos que ocupei, passei pelo Processamento de Dados, pela Diretoria Regional de Agências e na Diretoria Internacional. Um programa de incentivo à aposentadoria voluntária conduziu-me à aposentadoria em 2006, após 32 anos de serviços ininterruptos às várias áreas e empresas do Grupo Bamerindus; porém continuo na ativa, fazendo parte do conselho da Coopesf e administrando a pousada Dubai, em Bombinhas (SC).

O Caminho de Santiago de Compostela

Existem vários caminhos que conduzem a Santiago de Compostela, e que há mais de mil anos são realizados por peregrinos de todas as raças e crenças. O que eles têm em comum é o ponto de chegada, a cidade de Santiago de Compostela, na região da Galícia, Espanha. Segundo a tradição, ali repousam os restos mortais de Tiago Maior, um dos doze apóstolos de Jesus, respeitosamente guardados numa arca no porão da catedral dedicada ao santo. Nós escolhemos o caminho mais tradicional que é o francês, e sai da divisa com a França, cruzando de leste a oeste toda a extensão norte da Espanha.

Preparando o Caminho

Eu e minha esposa Sulei já fizemos muitas viagens pelo Brasil e pelo mundo. Estivemos algumas vezes em países da Europa, da Ásia, da América do Sul, Central e do Norte, sempre em viagens tradicionais, indo de avião, andando em ônibus, taxis ou carros alugados, mas nunca com longas caminhadas a pé. Assim, quando marcamos a data desta viagem, realizamos também um programa de condicionamento físico com longas caminhadas diárias e também exercícios de Pilates, para alongamento e fortalecimento da musculatura da coluna, das pernas e dos braços, numa academia (foto ao lado). Não tivemos nenhum acidente ou contusão durante todo o caminho, graças às recomendações de nossas fisioterapeutas que orientavam cada exercício, durante os três meses que antecederam a nossa saída e nos conduziram a uma boa e adequada forma física.

A escolha das roupas, calçados e equipamentos (tênis, meias, sandália, chapéu, capa de chuva, mochila, sacos de dormir, cantil, estojo de primeiros socorros) são fundamentais para ter conforto e segurança durante a caminhada. É preciso equacionar peso e espaço, pois tudo tem que ser transportado na mochila. Também os exames e orientações médicas são importantes e necessários antes da partida. Levamos os principais medicamentos.

A caminhada de Roncesvalles até Santiago de Compostela

O trajeto todo são 775 km, que dividimos em 26 etapas diárias. Em cada etapa caminhávamos de 18 a 32 km por dia, a pé. Conhecemos gente de todas as idades e partes do mundo, mas a grande maioria que faz o caminho são os espanhóis, muito entusiasmados e com alegria contagiante. Percorremos 202 km em trem e 573 km a pé, seguindo sempre a “flecha amarela”, que com toda sua simplicidade orienta muito bem a direção dos Peregrinos. Períodos de neblinas, garoas e chuvas quase diariamente, também com frio, neve, lama, vento, subidas íngremes e descidas difíceis, montanhas com neve e vales nublados. Um esforço físico positivo, com um pouco de sofrimento suportável, e muiiiiiitos momentos de contemplação, história medieval, igrejas, museus, áreas agrícolas fantásticas (uva e azeitona), fotos, vídeos, emoções, alegrias, reflexões, pensamentos, ideias e orações.

Cruzamos 150 cidades e povoados em quatro províncias espanholas. Tínhamos dois guias de viagens – um livro e o Iphone, que nos indicavam os roteiros e onde dormir, seguindo sempre a flecha amarela. Ficamos em 26 albergues diferentes, razoavelmente confortáveis, num grande espírito de desprendimento, humildade, compartilhamento, convivência e honestidade. Tomamos muito vinho e comemos quase diariamente um enorme e delicioso sanduiche de pão baguete com queijo e presunto (jamon) que eles chamam de “bocadillo”. Era nossa principal refeição. Claro que tínhamos outras refeições completas (menu do peregrino), pois o caminho também é uma viagem gastronômica excelente.

Resolvemos fazer um blog para diariamente ir relatando a viagem e postando fotos dos locais visitados, que nos foi muito facilitado pela capacidade do Iphone, que podia ser conectado diretamente a Internet nos locais com disponibilidade de wi-fi, permitindo assim que nossos amigos pudessem acompanhar cada passo que fazíamos no caminho. Recebemos centenas de comentários e incentivos à nossa caminhada (www.jairesulei.blogspot.com).

O lado espiritual fala muito alto durante todo o caminho e emociona mesmo na chegada à majestosa Catedral, com suas três torres escuras e úmidas pela chuva. No ribombar dos sinos, a missa dos Peregrinos com cânticos e a música envolvente do órgão que ecoa suavemente por todos os cantos e mexem no fundo da alma. Uma freira sobe ao altar e com sua voz maravilhosa orienta a todos para cantar. A trajetória pendular perfeita do gigante “botafumeiro”, um enorme incensório que aromatiza toda a extensão da Catedral e indica a grandeza do feito. Exuberante! Uma sensação de ter concluído uma realização que no início parecia impossível, mas que de forma organizada e adequadamente preparada, nos levou ao destino planejado, que era chegar ali. A visita ao túmulo do Apóstolo que fica sob o altar e o abraço na grande estátua que fica sobre o altar, onde coloquei minha Credencial com todos os carimbos dos locais visitados, num ritual peregrino de grande significação, faz o coração bater mais forte. Muita emoção! Fomos ao Centro de Atendimentos ao Peregrino para a retirada da Compostelana, uma certificação pela realização do caminho a pé (também pode ser de bicicleta ou a cavalo), que é concedido após minuciosa análise dos carimbos dos locais percorridos. Cerca de mil peregrinos chegam diariamente, dobrando no período do verão.

O Caminho é uma oportunidade para conhecer pessoas do mundo inteiro e praticar línguas estrangeiras, com um misto de fé, espiritualidade, turismo rural e ecológico. Um desafio na busca de saúde física e mental, e, um fantástico roteiro gastronômico. Tudo isso realizado de forma econômica e com liberdade.

Nós já iniciamos o planejamento para realizar o Caminho do Norte, que cruza toda a Espanha de Leste a Oeste, agora pelo litoral norte, sempre chegando a Santiago de Compostela.

Buen Camino! "




Mande você também fotos de viagens que você já fez. Você pode estar na próxima edição do Fator A. mande um e-mail para apabam@apabam.com.br, com suas fotos e um breve relato.

Cadastre seu email e receba nosso informativo

Voluntários da Pátria, 475 22ºandar | sala 2211 | 80020-926 | Fones: (41) 3232 4821 |  (41) 3521 5460