Por Onde Anda - Nelson Ferrone

12/09/2018

clique para aumentar
ou diminuir o texto

* Texto publicado originalmente em nosso jornal Fator A, edição 33, de dezembro de 2014
Edição: Raphael Ramirez

Nasci no dia 11 de abril de 1943, na cidade de Oswaldo Cruz, no estado de São Paulo, mas logo foi residir em Peabirú, cidade do norte novo do Paraná, na época de grande desenvolvimento da região. Doze anos depois ingressei no Banco Mercantil e Industrial do Paraná – o Bamerindus - em fevereiro de 1955, por indicação de um amigo de infância, Mauro Rosas, na gestão do Sr. Hildebrando Pereira de Camargo, tendo como contador o Sr. Álvaro Pinto Guimarães, que me pagou o primeiro salário após uma experiência de 60 dias sem remuneração.

Com a aposentadoria do Sr. Hildebrando, veio para substituí-lo o Sr.Orlando Hoogevonik por pouco tempo, e logo depois o Sr. Luiz Fernando Sibut. Tive como companheiro de trabalho o nosso amigo de muitos anos, o Raul Jacob Brenner, como também o Luiz Bassi, Newton Francisco de Paula Teixeira Gil e Virgílio Azevedo Bueno, como outros também saudosos.

Após ter trabalhado por cinco anos naquela agência e estudado no Curso Ginasial daquela cidade, pedi transferência para Curitiba (PR) para continuar meus estudos. Formei-me em Direito junto à Faculdade de Direito de Curitiba. Fui trabalhar na capital paranaense junto à Inspetoria Geral com o Sr. Marini, como ajudante da sua secretária, a sra. Dalva. A pedido do Sr. Marini fui ajudar na organização da agência de Campo Comprido, cidade satélite da capital, retornando à Matriz seis meses depois.

Logo a seguir fui transferido para a agência do Portão, em Curitiba, para ser sub-contador, cujo titular da contadoria era Homero Cordeiro de Souza. O gerente da agência era o Sr. Orlando Hoogevonik, com o qual eu já havia trabalhado em Peabiru.

Assumi a contadoria seis meses depois e lá fiquei por 4 anos, ao lado do gerente, o Sr. Sebastião Lopes de Azevedo, e dos colegas de trabalho Aroldo Belmiro Zaniolo, Anildo Francisco da Silva, Lucrécia Guginski, Donay Helena Wegner, Cecilia Halu, Orlando de Oliveira França, entre outros, quando o Seo Avelino me mandou para a agência Centro/Niterói como contador, aonde trabalhei com o Sr. Jair Mocelin e José Eduardo de Andrade Vieira. Esta transferência foi muito importante, pois foi um período de grande aprendizado junto a estes dois profissionais.

Após dois anos fui promovido a gerente da agência Barreto, e depois São Gonçalo, Fonseca e Icaraí, em Niteroi (RJ), até ser transferido para a abertura da agência de Aracaju, onde fiquei por 8 meses, quando fui substituído por Pedro Ivo Polak. Em seguida assumiu a agência de Salvador (BA), onde fiquei por dois anos na Diretoria do Dr. José Marcio Peixoto. Neste período o Bamerindus adquiriu os Bancos de Administração – Sergipe - e o Crédito da Bahia - Salvador, e então passei a exercer as funções de Contador Geral e depois gerente regional de treze agências no sul da Bahia, em Aracaju e em Maceió.

Retornei a Curitiba e fui trabalhar como gerente geral da contabilidade do banco, em substituição ao Sr. Francisco de Assis Andrade, que havia se aposentado. Nessa oportunidade tive como amigos de trabalho os srs. Clayton Karam, Cecim Calixto e Vivaldo Rocha, entre outros.

Posteriormente passei a fazer parte de um grupo de funcionários da Presidência do banco (Astec), ligado diretamente ao presidente, o sr. Edson. A equipe era constituída pelos profissionais e especialistas em legislação fiscal, contábeis e auditoria interna, tendo como elenco os srs. Bruno Haun, Renato Bardelli dos Santos, Jayme Liebel e Hélio Nelson Luczyzyn. Fui transferido para o DESER e tive a satisfação de trabalhar com o Dr. José Marcio Peixoto pela segunda vez, com o Otto Jayme Becker, Antonio Campos Silva Junior, George Rodolfo, Warton Cruz de Oliveira, Wilson Ayres Rocha, João Henrique, Valdemiro Germano Schmidt, Altemir Antônio Gugelmim e outros tantos.

Assumiu em Sertãozinho (SP) a Diretoria Administrativa e Financeira e, posteriormente, a Vice-Presidência da empresa agropecuária Lagoa da Serra, com a qual o Bamerindus se associou. Foi um trabalho de saneamento e resultados positivos. Após dois anos de Lagoa passei o meu cargo para o nosso colega Carlos Romeu Tramontin.

Fui convidado pelo Sr. José Eduardo a dirigir a Diretoria do Banco em Ribeirão Preto até me aposentar, em abril de 1995. Tenho mantido contato com alguns apabeanos residentes em Ribeirão Preto (SP) e em Curitiba.

Sou casado com a sra. Arinda Maria dos Santos Ferrone, com quem tenho três filhos e um neto. Hoje resido em Ribeirão Preto e tenho uma empresa de Factoring; também sou sensei (mestre 5º Dan) da arte marcial japonesa AIKIDO.

Trabalhamos em um banco que tinha alma e deixou muitas saudades, e que tudo fazia para o bem estar dos seus funcionários. Agradecemos esta oportunidade porque muito devemos a esta organização que muito nos ensinou. A APABAM tem dado continuidade no relacionamento entre os antigos funcionários e tem trabalhado em prol dos aposentados, mantendo a política de relacionamento com o HSBC.

Veja outras entrevistas Por Onde Anda:

Cadastre seu email e receba nosso informativo

Voluntários da Pátria, 475 22ºandar | sala 2211 | 80020-926 | Fones: (41) 3232 4821 |  (41) 3521 5460